Hoje encontrei um artigo que pode ser uma revolução no campo da contracepção. É mais, a revista Wired expressa que “se este estudo é, o RISUG poderia representar o maior avanço no controle da fertilidade masculina desde a invenção da camisinha moderno”.


Imagine que possam administrarte uma injeção e que esta lhe permitisse manter relações sexuais sem o medo de deixar a grávida, seu companheiro e que o efeito durou 10 anos. Em seguida, imagine que se você quiser reverter para o efeito, com outra injeção se eu pudesse.


injeção RISUG


O Fascinante verdade? Pois esta magnífica criação é a realização de um engenheiro biomédico chamado Sujoy Guha. Este cientista está trabalhando no desenvolvimento do novo contraceptivo masculino de longo prazo, o que foi nomeado inibição reversível do esperma dirigido “RISUG”.


http://sexualidadsanayresponsable.blogspot.com


Este método pode ser uma nova opção para aqueles homens que não querem ser pais, ou não desejam ter mais filhos, e, além disso, tem a grande vantagem de que com um segundo furo, você tem a oportunidade de mudar a sua situação no caso de que se tenham voltado a vontade de ter filhos.


Já à primeira vista, esta nova descoberta teria muitas mais vantagens do que a vasectomia, procedimento cirúrgico de esterilização masculina em que o texto é curto e liga o canal deferente, encarregado do transporte dos espermatozóides. Asseguro-lhes que, embora não seja uma intervenção perigosa, eu tenho instrumentado várias e eu pensaria duas vezes antes de me submeter a essa técnica.


Vantagens do RISUG sobre a vasectomia:



  1. Nenhuma parte do tubo deferente é cortada pelo que se mantém a ejaculação e o lívido intacto.

  2. É possível reverter

  3. Intervenção menos arriscada, porque deixam os órgãos intactos.

  4. Recuperação mais rápida

  5. Por agora não demonstraram efeitos colaterais, a não ser um pouco de inflamação nos testículos, uma ou duas semanas no máximo.

  6. Não há pressão extra dentro do testículo, já que não acumula o esperma em seu interior.

Segundo palavras do engenheiro S. Guha, o RISUG baseia-se na aplicação de um gel sintético com carga elétrica positiva para o interior do conduto. Acredita-Se que este gel pode reduzir o PH no interior do conduto provocando a morte dos espermatozóides, que, embora sejam expulsos normalmente na ejaculação são incapazes de fecundar o óvulo.


Aparentemente, de acordo com os estudos clínicos realizados este método tem uma duração de cerca de 10 anos e, em seguida, pode voltar a repetir-se.


Procurando informações sobre a forma de gerenciamento da injeção, posso adiantar que, após anestesia local, é feita uma pequena incisão no escroto (pele que recobre o testículo) e aplica a injeção diretamente no canal deferente, em seguida, introduz-se o canal e sutura da pele. Em caso de que se queira reverter, deverá se abrir novamente a pele do testículo e injetar um solvente que dissolve o gel e permite que os novos espermatozóides sejam funcionais.


Bem, pela minha parte, espero que essa nova técnica de terminar de passar e logo começa a ser uma nova opção de contracepção masculina, mas é isso mesmo… lembrem-se de que evita a gravidez, mas não para nos ajudar a entrar de doenças de transmissão sexual, pelo que não é uma boa ideia recorrer a este método contraceptivo quando não se tem um parceiro estável.;)